Liturgia Diária

Santíssima Trindade nos aproxima ao amor de Deus

Por isso, somos convidados a viver plenamente a contemplação da Santíssima Trindade.

Assim, que a nossa fé nos ajude a entender a ação da Santíssima Trindade em nosso viver.

Oração do dia
Ó Deus, nosso Pai, enviando ao mundo a Palavra da Verdade e o Espírito santificador, revelastes o vosso inefável mistério. Fazei que, professando a verdadeira fé, reconheçamos a glória da Trindade e adoremos a Unidade onipotente. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Provérbios 8,22-31)

Assim fala a sabedoria de Deus:
“O Senhor me possuiu como primícias de seus caminhos, antes de suas obras mais antigas; desde a eternidade fui constituída, desde o princípio, antes das origens da terra.

Fui gerada quando não existiam os abismos, quando não havia os mananciais das águas, antes que fossem estabelecidas as montanhas, antes das colinas fui gerada.

Ele ainda não havia feito as terras e os campos nem os primeiros vestígios de terra do mundo.
Quando preparava os céus, ali estava eu; quando traçava a abóbada sobre o abismo, quando firmava as nuvens Iá no alto e reprimia as fontes do abismo, quando fixava ao mar os seus Iimites de modo que as águas não ultrapassassem suas bordas e lançava os fundamentos da terra, eu estava ao seu lado como mestre de obras;
eu era seu encanto, dia após dia, brincando, todo o tempo, em sua presença, brincando na superfície da terra e alegrando-me em estar com os filhos dos homens”.
Palavra do Senhor.

Assim sendo, em comunhão com a Santíssima Trindade elevemos nossos louvores.

Salmo Responsorial 8
Ó Senhor nosso Deus, como é grande vosso nome por todo o universo!

Contemplando estes céus que plasmastes
e formastes com dedos de artista;
vendo a lua e estrelas brilhantes,
perguntamos: ”Senhor, que é o homem,
para dele assim vos Iembrardes
e o tratardes com tanto carinho?”

Pouco abaixo de Deus o fizestes,
coroando-o de glória e esplendor;
vós Ihe destes poder sobre tudo,
vossas obras aos pés Ihe pusestes.

As ovelhas, os bois, os rebanhos,
todo o gado e as feras da mata;
passarinhos e peixes dos mares,
todo ser que se move nas águas.

Assim, justificados pela fé, estamos em paz com Deus através de Jesus e do Espírito Santo.

Leitura (Romanos 5,1-5)

Irmãos, justificados peIa fé, estamos em paz com Deus, pela mediação do Senhor nosso, Jesus Cristo.

Por ele tivemos acesso, pela fé, a esta graça, na qual estamos firmes e nos gloriamos, na esperança da glória de Deus.

E não só isso, pois nos gloriamos também de nossas tribulações, sabendo que a tribulação gera a constância, a constância leva a uma virtude provada, a virtude provada desabrocha em esperança;
e a esperança não decepciona, porque o amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.
Palavra do Senhor.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito divino, ao Deus que é, que era e que vem, pelos séculos. Amém (Ap 1,8).

Evangelho (João 16,12-15)

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos:
”Tenho ainda muitas coisas a dizer-vos, mas não sois capazes de as compreender agora.

Quando, porém, vier o Espírito da verdade, ele vos conduzirá à plena verdade.

Pois ele não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido; e até as coisas futuras vos anunciará.

Ele me glorificará, porque receberá do que é meu e vo-Io anunciará. Tudo o que o Pai possuí é meu.
Por isso disse que o que ele receberá e vos anunciará é meu”.
Palavra da salvação.

Assim, a Santíssima Trindade que abre o nosso coração para o Deus amoroso

Neste domingo, somos convidados a viver plenamente a contemplação da Santíssima Trindade que abre o nosso coração para o Deus amoroso, revelado por Jesus Cristo.

Diante disso, consciente de ser Filho, Jesus nos falou do Pai e prometeu o dom do Espírito Santo a quem tivesse fé.

Assim como também, revelou que tinha vindo do Pai e para o Pai voltaria, confiando ao Espírito Santo a missão de dinamizar a caminhada da comunidade de fé.

Portanto, sempre que falava de Deus, referia-se à Trindade.

Dessa forma, o envio do Filho, por parte do Pai, foi uma prova de amor imenso ao ser humano corrompido pelo pecado.

Tal feito visava por sua vez, libertar da morte a humanidade. Por isso, Jesus veio na qualidade de portador de vida eterna.

Entretanto, a perfeita salvação – o dom da vida eterna – depende de como se acolhe Jesus, e se adere à sua pessoa.

Deste modo, vive-se como verdadeiros filhos e filhas de Deus, regenerados pelo Espírito.

Engana-se quem atribui a Jesus a missão primordial de julgar e condenar o mundo.

Pois, a condenação depende da incredulidade em relação ao Filho enviado pelo Pai.

Nesse sentido, rejeitar o Filho significa, por extensão, rejeitar o Pai que o enviou.

Por sua vez, recusar a este comporta a rejeição da vida eterna, que só ele pode oferecer.

Esta insensatez, em última análise, resulta do fechamento ao dom do Espírito Santo, o único que tem o poder de atrair o ser humano para Deus.

Portanto, embora o desígnio primeiro da Santíssima Trindade seja o de salvar a humanidade, resta sempre a possibilidade de o ser humano servir-se de sua liberdade para fazer-se prisioneiro de seu egoísmo.

Oração
Pai, louvo-te e agradeço-te por nos teres amado tanto, a ponto de oferecer-nos a salvação, por meio de teu Filho, ao qual somos atraídos pela força do teu Espírito.

%d blogueiros gostam disto: